Dicas


Materiais necessários
Areia, peças de pavimentação, meio-fio ou madeira para confinamento.


Ferramentas e equipamentos necessários:
Estacas ou piquetes de madeira, linhas de nylon, réguas (3 m X 4 cm), tábuas, nível de mangueira, pás, colher de pedreiro, marreta de borracha, vassourão, trena, nível de bolha, lápis, placa vibratória e carrinho de mão.


Levantamento quantitativo
Piso = área (m²) + 3% de quebras, devido ao corte das peças.
Areia grossa (m³) = área de projeto x 4 cm.
Areia fina (m³) = 0,004 m³/m² (passante na peneira de abertura de 2,5 mm).


Locação
Desenhe a área que será pavimentada em um papel e utilize o método do triângulo 3-4-5 para determinar as linhas perpendiculares e a área total. Instale os piquetes (estacas) nos cantos da área e a cada 1,5 m, deixando-as a aproximadamente 20 cm da borda da área que será pavimentada. Para certificar-se de que a área está com os ângulos de 90° corretos, estique as linhas na diagonal e encontre o mesmo comprimento.


Escavação
Antes de iniciar, verifique a eventual existência de tubulações no solo. Com o auxílio de uma pá cavadeira, corte e remova o solo com aproximadamente 17 cm de profundidade (para 6 cm ou 8 cm de piso, 4 cm de colchão de areia e 5 cm de base compactada). Observação: se o solo local for muito mole, para garantir a estabilidade, a base de 5 cm a ser compactada deverá ser maior.


Preparação da base
Quanto mais esforços forem investidos na preparação da base, melhor será o desempenho do pavimento.
Primeiro, passe a placa vibratória sobre o solo escavado. Assegure-se de que ele não está grudando à parte inferior da placa. Sobreponha uma camada, não superior a 5 cm, de solo para a compactação. Se o solo estiver seco, borrife água com o aspersor de jardim para facilitar a compactação. A base deverá encerrar bem compactada e plana. Prepare todo o confinamento necessário no perímetro, demarcando a área através de meio-fio, vigas de concreto/madeira ou acessórios de plástico. Observação: a declividade deve ser de 1,5 a 2%, obrigatoriamente, na base.


Colchão de areia
A areia deverá estar seca e livre de material orgânico, portanto, proteja-a da chuva. Se houver qualquer área com problema de superfície, faça os reparos necessários na base e não com a camada de areia. Com o auxílio de guias e réguas, distribua uniformemente a camada de 4 cm de areia média. Observação: não caminhe sobre o colchão de areia pronto para receber o pavimento.


Assentamento do piso
Inicie por qualquer um dos cantos. Assente da direita para a esquerda, finalizando a primeira linha de pisos, e volte assentando da esquerda para a direita. Assente as peças conforme padrão de posicionamento que desejar (espinha de peixe, fileira, etc.). Quando houver necessidade de cortar as peças, utilize um equipamento adequado (disco diamantado) ou a marreta e a talhadeira. Com o auxílio de um lápis de carpinteiro ou giz de cera, marque com precisão o corte da peça, sem esquecer o espaço para a junta. Todo o espaço acima de 6 mm deve ser preenchido com peças de concreto. Se passar de dois dias assentando, sugerimos cobrir a área de piso já colocado, para a sua proteção.


Finalização
Passe a placa vibratória sobre toda a área pavimentada, pelo menos duas vezes em direções opostas (um circuito completo em um sentido e, depois, no sentido contrário). Essa compactação inicial dá planicidade ao piso, compacta o colchão de areia e força a areia a preencher as juntas. Se o pavimento não ficar plano, repita a compactação. Com o auxílio de duas colheres de pedreiro ou chaves de fenda, substitua os blocos que quebraram. Espalhe a areia fina e seca sobre o pavimento compactado. Com o auxílio de uma vassoura, preencha as juntas com areia. Nunca utilize argamassa. Ainda com a areia espalhada, realize a compactação final (passe 4 vezes) para assegurar o preenchimento das juntas com areia fina. Se houver necessidade, varra o excesso de areia após a compactação final.